domingo, junho 17, 2018

UMA PALAVRA SOBRE O "ESPAÇO INFINITO"...

O ESPAÇO INFINITO, ou DEUS, o VERDADEIRO - ou o INFINITO CAMPO QUÂNTICO CONSCIENTE -, não é "meu", mas de TODOS...
E é IGUAL para TODOS...
Não se inventa, CONSTATA-SE...
Não prega nenhuma MORAL, mas CRIOU as LEIS da NATUREZA...
LEIS essas INCORRUPTÍVEIS...
E IGUAIS para TODOS...
Que os Homens terão sempre de respeitar sob pena de elas atuarem contra eles...
Ter religiosidade é conhecer e respeitar essas LEIS...
REPITO: o ESPAÇO INFINITO CONSTATA-SE...
Não se "inventa"...
Mas os cegos - a grande maioria das pessoas - não o "VÊEM"...
Infelizmente!
Disse!
- Victor Rosa de Freitas -


NÃO HÁ “VACAS SAGRADAS” NA “JUSTIÇA” – TODOS SÃO INVESTIGÁVEIS E PUNÍVEIS…


Enquanto houver na “justiça” – usando de uma linguagem hindu – “vacas sagradas”, insuscetíveis de serem investigadas e punidas, a “justiça” não muda…

Desde o Procurador-Geral da República, ou o Vice-Procurador-Geral da República, passando pelo Presidente do Supremo Tribunal de Justiça ou o Presidente do Supremo Tribunal Administrativo, ou mesmo o Ministro da Justiça – sejam homens ou mulheres e quem quer que seja que ocupe tais cargos – TODOS devem poder ser investigados e punidos…

Enquanto vigorar o “temor reverencial” na máquina judiciária e judicial que leva a que os elementos da “justiça” de grau inferior vejam os elementos de grau superior como intocáveis…

Enquanto a “justiça” continuar a desafiar, em muitas situações, a lógica elementar, ou a OMITIR PRONÚNCIA sobre questões de mérito, para levar a brasa à sua sardinha – para defenderem, quanto mais não seja, aquelas “vacas sagradas”, e a efetividade do “temor reverencial”…

A “justiça” não muda…

Há que criar mecanismos e órgãos legais que possam pôr cobro a todas estas situações…

POIS…

NÃO HÁ “VACAS SAGRADAS” NA “JUSTIÇA” – TODOS SÃO INVESTIGÁVEIS E PUNÍVEIS…

Para que se faça

J U S T I Ç A!

Disse!

- Victor Rosa de Freitas –


LUTAR E GRATIFICAR O AMOR MAIOR…

«Entendia melhor as palavras de Krishna ao guerreiro Arjuna, antes da batalha. Não era exatamente o que estava escrito no livro, mas na sua alma:
«”Luta porque é preciso lutar, porque estás diante de um combate.
«”Luta porque estás em harmonia com o universo, com os planetas, os sóis que explodem e as estrelas que encolhem e se apagam para sempre.
«”Luta para cumprir o teu destino, sem pensar em ganhos ou em lucros, em perdas ou estratégias, em vitórias ou derrotas.
«”Não tentes gratificar-te a ti mesmo, mas ao Amor Maior que nada oferece além de um contacto breve com o Cosmos e para isso pede um ato de devoção total – sem questionamentos, sem perguntas, amar pelo ato de amar e nada mais.
«”Um amor que nada deve a ninguém, que não é obrigado a nada, que se alegra simplesmente pelo facto de existir e de poder manifestar-se.”»
(In “HIPPIE”, de Paulo Coelho, Pergaminho, pág. 73)


sexta-feira, junho 15, 2018

O FENÓMENO HIPPIE...

Estou a ler (a par de vários outros) o livro de Paulo Coelho, "HIPPIE", e estou a gostar…
Retrata bem o que toda aquela gente do "Peace and Love", do "Make Love not War" e do "É Proibido Proibir", fazia e como se comportava...

E os seus relacionamentos com os Estados, divididos entre dois blocos de poder, uma vez que o fenómeno ocorreu em plena Guerra Fria...

Pena é que os seus elementos - que procuravam a Iluminação - nunca tenham constatado que DEUS, o VERDADEIRO, é o ESPAÇO INFINITO - ou o INFINITO CAMPO QUÂNTICO CONSCIENTE… O que eu sou PRÓGONO a afirmar…

Disse!
- Victor Rosa de Freitas -


terça-feira, junho 12, 2018

TENTAÇÕES...

Quando ouço um qualquer idiota - e há muitos mais do que eu pensava - dizer "obrigadinha" ou "a gente vamos", sou tentado a virar à "direita"...
MAS...
Não sou de "direita" nem de "esquerda"...
SOU apologista da estratificação social com base no grau do estado de CONSCIÊNCIA de cada um - e não com base no poder económico...
Sou tentado, pois, a defender uma EPISTOCRACIA...
PORÉM, como não há modo de escolher - politicamente - as pessoas com base no seu estado de CONSCIÊNCIA...
E PORQUE me repugna qualquer tipo de ditadura...
SOU tentado a ser apenas DEMOCRATA LIBERAL...
(NÃO neo-liberal, que fique claro...)
Com uma forte APOSTA no direito, para TODOS, de terem acesso ao CONHECIMENTO e à CONSCIÊNCIA...
Disse!
- Victor Rosa de Freitas -


domingo, junho 10, 2018

O DIA 10 DE JUNHO…

HOJE é o dia da “raça” (Cavaco dixit!)…
Da “raça” lusa…
Da “raça” corrupta…
Da “raça” moralmente corrupta – que atinge (todas) as pessoas, em geral (com poucas exceções)…
E materialmente corrupta – como são muitíssimas pessoas…
A corrupção é um CANCRO que mina a sociedade portuguesa…
Que só os homens CONSCIENTES podem tratar…
Pois os homens CONSCIENTES não são moralmente corruptos…
Nem materialmente corruptos…
Pois quem não é moralmente corrupto não é materialmente corrupto…
E os homens CONSCIENTES têm três alternativas…
- OU não FALAM da corrupção moral…
E despenalizam a corrupção material…
(E não se fala mais nisso)…
E deixar-se-á a “raça” degradar até ao seu completo desaparecimento…
- OU os homens CONSCIENTES reprimem a corrupção material…
E trazem CONSCIÊNCIA aos corruptos morais…
- OU os homens CONSCIENTES…
Ao mesmo tempo que exercem repressão…
Definem uma POLÍTICA de CONHECIMENTO e CONSCIÊNCIA…
Que sejam um DIREITO de TODOS…
De modo a ERRADICAR a CORRUPÇÃO – moral e material – da “raça”…
Só assim será digno comemorar o dia 10 de Junho!...
Disse!
- Victor Rosa de Freitas –


quarta-feira, junho 06, 2018

REFLEXÃO DO DIA…

Desde quando a denúncia – fundamentada de modo inequívoco – das barbaridades criminosas da “justiça” é apenas… uma “opinião”?...
O poder – designadamente da “justiça” – não pode estar nas mãos de CRIMINOSOS!...
Há que lutar pela CONSCIÊNCIA…
Mas também pela PUNIÇÃO de tais CRIMINOSOS…
Pois estes, apesar de não passarem de GAROTOS parvos e ignorantes, o certo é que são criminalmente IMPUTÁVEIS…
E não queremos mais garotos parvos e ignorantes a “julgarem-nos", ou a conhecerem das nossas queixas contra os crimes da “justiça”…
Disse!
- Victor Rosa de Freitas –


AS RECEITAS DOS PSIQUIATRAS…


«Há uma brutal exigência na psiquiatria e são poucos os que a antevêem quando se decidem pelo ramo. Ser, entre todos, um curador de almas. Vestir uma túnica e abrir os braços.
«Deixai vir a mim os depressivos, os dementes e esquizofrénicos, os ansiosos e os bipolares. Pretende-se do que resgata almas um primado da razão rodeado por irrazoáveis. Não pode soçobrar, como Cristo cercado na montanha por leprosos, aleijados, cegos e pobres.
«Salva-me, não és tu o filho de Deus?
«Cura-me, não andaste tu a estudar o que atormenta uma cabeça?
«Não pode, em momento nenhum, chorar. Para chorar estamos cá nós, diriam logo os doentes. Não será de admirar se muitos psiquiatras fizerem assim a distribuição de comprimidos: dois para ti, mais dois para ti, três para aquele ali e, já agora, vou tomar também um, se não se importam, que isto não tem sido fácil.»
(In “Jogos de Raiva”, de Rodrigo Guedes de Carvalho, Publicações Dom Quixote, págs. 81 e 82)



terça-feira, junho 05, 2018

INVESTIGAÇÃO AO PROCESSO CASA PIA...

Descarregue, AQUI, em PDF, a investigação ao processo Casa Pia, e que o desmonta, em pormenor...

Demonstra-se, de modo inequívoco, como tal processo condenou INOCENTES…

Se é uma pessoa CONSCIENTE não deixará de ler…

- Victor Rosa de Freitas -

O FLAUTISTA DE HAMELIN...

LISBOA, com tantos ratos, está a precisar de um Flautista de Hamelin...
- Victor Rosa de Freitas -
- «O Flautista de Hamelin é um conto folclórico, reescrito pela primeira vez pelos Irmãos Grimm e que narra um desastre incomum acontecido na cidade de Hamelin, na Alemanha, em 26 de junho de 1284.
Em 1284, a cidade de Hamelin estava sofrendo com uma infestação de ratos. Um dia, chega à cidade um homem que reivindica ser um "caçador de ratos" dizendo ter a solução para o problema. Prometeram-lhe um bom pagamento em troca dos ratos - uma moeda pela cabeça de cada um. O homem aceitou o acordo, pegou uma flauta e hipnotizou os ratos, afogando-os no Rio Weser.
Apesar de obter sucesso, o povo da cidade abjurou a promessa feita e recusou-se a pagar o "caçador de ratos", afirmando que ele não havia apresentado as cabeças. O homem deixou a cidade, mas retornou várias semanas depois e, enquanto os habitantes estavam na igreja, tocou novamente sua flauta, atraindo desta vez as crianças de Hamelin. Cento e trinta meninos e meninas seguiram-no para fora da cidade, onde foram enfeitiçados e trancados em uma caverna. Na cidade, só ficaram opulentos habitantes e repletos celeiros e bem cheias despensas, protegidas por sólidas muralhas e um imenso manto de silêncio e tristeza.
E foi isso que se sucedeu há muitos, muitos anos, na deserta e vazia cidade de Hamelin, onde, por mais que se procure, nunca se encontra nem um rato, nem uma criança.» (Wikipédia) -
QUADRO: O Flautista de Hamelin, ilustração de Kate Greenaway…


segunda-feira, junho 04, 2018

O CAMINHO DA CONSCIÊNCIA...

Assista a esta ótima PALESTRA.

- Victor Rosa de Freitas -

on-line
Support independent publishing: buy this book on Lulu.