sábado, março 01, 2008

OS ENSINAMENTOS DO MEU "MESTRE"

Eu, pobre coitado, cheio de “boas” intenções, julgava que era “amigo” de toda a Humanidade, de todo e qualquer ser humano.

Tal perspectiva só me trouxe problemas porque os meus “inimigos”, para me destruir, “escolhiam” e individualizavam os meus “amigos” quando me queriam imputar falta de imparcialidade.

Confuso, fui consultar o meu “Mestre”.

E a sua resposta foi:

- Deves aprender a perscrutar de uma maneira inteligente o coração dos homens. Mas de um ponto de vista absolutamente impessoal, pois, de outro modo, verás a questão através de um prisma falso. Portanto, a impersonalidade deve ser primeiramente entendida. A inteligência é imparcial: nenhum homem é teu inimigo, nenhum homem é teu amigo. Todos são igualmente teus instrutores. O teu inimigo converte-se num mistério que tens de resolver, ainda que para esse fim sejam necessários séculos, pois o homem deve ser compreendido. O teu amigo converte-se numa parte de ti mesmo, uma extensão de ti mesmo, em enigma difícil de decifrar. Só há uma coisa mais difícil de conhecer: o teu próprio coração. Antes que se tenham afrouxado os laços da personalidade, não se pode começar a ver este profundo mistério do ser. Enquanto não estiveres apartado dela, não será de modo algum revelada ao teu entendimento. Então, e só então, poderás usar de todos os teus poderes e consagrá-los a um trabalho digno”.

Paradoxalmente, este mesmo meu “Mestre” dizia que tudo é amor.

Entenda quem for capaz.

Eu SEI que o meu “Mestre” tem toda a razão.

1 Comments:

Blogger Vieira Calado said...

Tem toda a razão. É por isso que lhe chamam MESTRE.
Cumprimentos

2:49 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

on-line
Support independent publishing: buy this book on Lulu.